Busca

Marketing Cinema e Televisão

Marketing e Varejo

Categoria

Mídia Digital

Facebook tem 44% do compartilhamento na web

Cerca de 7 milhões de domínios no mundo utilizam a ferramenta AddThis para compartilhamento de informações. Com isso, mais de um bilhão de pessoas são impactados por mês com auxílio do widget. Pensando nisso, a empresa criou um infográfico para mostrar algumas estatísticas sobre seu uso em 2010.

A rede social de Mark Zuckerberg se consolidou como campeã das ocorrências – disputando com mais de 300 serviços. 44% de tudo o que é compartilhado pelo AddThis vai para o Facebook, que bateu sua marca de 2009 (33%). Mas o aumento pode estar diretamente relacionado com o incremento do botão “Like”.

Em termos de crescimento, o Gmail foi campeão. Mesmo tendo apenas 1/3 da quantidade de usuários do Facebook, o serviço de e-mail do Google teve alta de 394% e deixou para trás StumbleUpon (254%), Orkut (que também criou seu próprio “Like” e cresceu 212%), Yahoo! Mail (179%), Facebook (163%) e Twitter (105%).

É..qual será o próximo desafio.

Fonte:  Mashable

Anúncios

YouTube amplia limite de duração de vídeos para 15 minutos

Até agora era possível enviar vídeos com duração de até 10 minutos apenas

 

 

O YouTube ampliou para 15 minutos o tempo limite de duração dos ví­deos publicados na ferramenta. O anúncio, tão esperado pelos usuá¡rios, foi feito nesta quinta-feira (29) em um post no blog oficial da equipe responsável pelo site. Até agora era possível enviar ví­deos com duração de até 10 minutos apenas.

Segundo a nota, a mudança ocorreu apenas agora porque nos últimos anos foi necessário investir muitos recursos para melhorar o sistema de identificação do conteúdo, além de outras ferramentas para proprietários de direitos autorais. Agora, estádios de cinema norte-americanos, gravadoras e outros mil parceiros do YouTube podem usar identificadores de conteúdo para gerenciar suas publicações. “Com o sucesso desses esforços tecnológicos, pudemos aumentar o limite de upload hoje”, explica Joshua Siegel, gerente de produto do YouTube.

Para encorajar os usuários a publicar ví­deos mais longos, a empresa pede que mandem ví­deos de seus “15 minutos de fama”. Colocando a tag “yt15minutes” nos envios feitos até o dia 4 de agosto, as gravações poderão ser escolhidas pela equipe do site, que as colocará em destaque na homepage do YouTube, garantindo realmente os “15 minutos de fama”.

Para quem já tentou enviar ví­deos com mais de 10 minutos e teve o arquivo rejeitado, é preciso apagá-lo da lista de “Meus Vídeos” antes de tentar fazer o upload novamente.

 

Fonte: Portal Exame

“A mídia não vai acabar, mas vai mudar”, diz Google

Para Jorge Dib, diretor de negócios do Google, a relação entre marcas e consumidores tornou-se uma via de mão dupla com as redes sociais

 

Nem o começo nem o fim, mas um momento de reflexão. Foi assim que Jorge Dib, diretor de negócios do Google, começou sua apresentação no 20º Fórum de Debates da APP (Associação dos Profissionais de Propaganda), que aconteceu nesta terça-feira (27), no auditório do Grupo de Mídia de São Paulo.

Com o tema “Mídias Sociais: o começo ou o fim da mídia?”, o evento reuniu, além de Dib, Cris Rother, Diretora Executiva do Ibope Nielsen Online; Brenda Fucuta, Diretora do Núcleo de Comportamento Feminino da Editora Abril; Felipe Santos, Diretor de Mídia Digital da agência Africa e Membro da Divisão de Comunicação do Grupo de Mídia; e o consultor Maurício Tortosa.

Os palestrantes concordaram que as mídias sociais não vão trazer o fim dos meios antigos, mas uma mudança. “A mídia não vai acabar, mas vai mudar. Essa relação agora é uma via de mão dupla. Eu tenho a opção de não ouvir, mas os outros estarão ouvindo. Se eu me fizer de surdo, isso vai afetar a minha imagem”, disse Dib.

A maneira como a marca deve se apresentar nas redes sociais ainda é um mistério. Os anunciantes e as agências devem estar atentos para que o uso das novas mídias não seja feita de forma errada e acabe sendo prejudicial. “Se não é uma love brand, existe rejeição da presença da marca nas redes sociais”, disse Santos.

Um bom exemplo do que pode ser feito é o uso dessas redes sociais pela revista Capricho. “A Capricho enxerga a multiplataforma como um sistema no qual cada plataforma reforça a outra. A revista mantém a mesma circulação que a dos anos 90 com o auxílio dessas plataformas que em tese seriam nossas concorrentes”, falou Brenda.

 

Fonte: PropMarketing

Como utilizar as mídias sociais de maneira segura nas empresas.

Com a crescente utilização das mídias sociais pelas empresas, muitas se vêem frente a um problema, como utilizar este recurso de forma produtiva e segura. Vejo muitas empresas bloqueando sites como Twitter, Linkedin, YouTube, Facebook, etc para seus funcionários, esta atitude do meu ponto de vista trás dois grandes problemas, o primeiro deles é a busca por métodos de se burlar os filtros de conteúdo por parte dos funcionários, o outro problema é a desmotivação por parte dos funcionários, este problema atualmente ainda é pequeno.Digo isso porque as empresas precisam entender que estamos passando por uma fase de transição onde os novos funcionários, aqueles da geração “Y” vem chegando e com eles a necessidade de conectividade.

A geração “Y” já nasce conectada, a criança mal saiu da barriga da mãe e já tem foto dela no Twitter em segundos, se bobear é provável que alguns pais já criem o perfil de um bebê em uma rede social, isso é algo que no meu ponto de vista poderá trazer um grande problema cultural para as empresas caso estas não se adaptem.

Exemplo disso é o uso do email, que por sinal atualmente esta banalizado, as pessoas mandam emails para o colega da mesa ao lado para perguntar algo sendo que elas podem fazer isso sem o uso desta ferramenta, mais o ponto que eu quero chegar no que se refere ao email não é este e sim o uso da ferramenta, perguntem para algum adolescente que já tem contato com computador se ele prefere utilizar email ou um software de mensagem instantânea? A maior parte deles vai achar o email coisa do passado, que demora, onde já se viu enviar uma mensagem para uma pessoa e esperar até o outro dia para ela responder? Esta é a geração “Y”.

Imaginem um jovem deste chegando a uma empresa onde ele não pode abrir o software de mensagem instantânea, não pode acessar os sites que mencionei anteriormente? Será que teremos um funcionário feliz trabalhando? Já sei a resposta de muitos, ah bloqueamos este tipo de ferramenta, pois são improdutivas ou inseguras.Pergunto: As ferramentas são improdutivas e inseguras ou as pessoas as tornam improdutivas e inseguras?

Se um funcionário souber identificar aquele email do banco XYZ pedindo cadastramento como um email falso e não clicar em nenhum link não tem problemas de segurança. Defendo o uso consciente destas ferramentas pelos funcionários, as empresas deveriam investir muito mais em conscientização e capacitação de seus funcionários. Sabemos que muitos destes sites têm falhas de segurança assim como muitos outros sites que não são de mídias sociais, o Twitter, por exemplo, a limitação na quantidade de caracteres fez com que surgissem os sites encurtadores de URL, agora estas URLs curtas começam a ser exploradas pelos cibercriminosos e se as pessoas não estiverem conscientes dos riscos, não souberem como verificar se uma URL é falsa, teremos um enorme problema por vir.

De nada vai adiantar a empresa bloquear o acesso aos sites XYZ se estas URLS começam a ser utilizadas por spammers em pishing, potencializando o ataque através do despreparo das pessoas.

Defendo a utilização dos recursos e sites de forma consciente e produtiva e isso as empresas só conseguem com treinamento e capacitação, obviamente a utilização de ferramentas de controle e monitoramento ajudam em muitos casos, porém com esta nova geração chegando, as empresas vão ser obrigadas a afrouxarem os bloqueios em seus filtros de conteúdo, até mesmo porque algumas delas já perceberam o quanto estes sites podem ser úteis aos negócios, monitorando o que as pessoas comentam sobre a marca, ou um produto, ouvindo seus consumidores, mantendo seus clientes informados dentre inúmeras finalidades.

Fonte: Thiago Bordini

10 Conselhos de mídia Social para empresas.

Um novo relatório, A Influência da Mídia Social,analisou que as empresas buscam contratar novos talentos, a galera mais antenada nas novas tecnologias para gerirem suas redes sociais. Em suma, um nativo digital com o conhecimento de uma mistura de ciência da computação, relações públicas, atendimento ao cliente, vendas eTributes to Frankie Manning on Twitter, Yehood... marketing.

Segundo o relatório os requisitos mais comuns para trabalhar em uma rede social são excelentes habilidades de comunicação e trabalho em equipe, além da capacidade de compreender e saber adaptar-se à variedade de estilos de comunicação.

Ele também acrescenta que a versatilidade é especialmente importante para aqueles que são responsáveis por criar e gerenciar comunidades, tais como comunity manager ou analista de redes sociais, pois eles estão sempre entre a marca e o público.

1. Faça peças utilizando a organizacional tradicional
O papel das empresas nas redes sociais requer disciplina. Os serviços de atendimento ao cliente, relações públicas, marketing e vendas têm sido envolvidos no impacto da mídia social nas operações diárias da empresa.

2. Não dê trabalho a Estagiários
O vendedor de aparelhos móveis o britânico HABITAT aprendeu esta lição em 2009: não confie oTwitter da marca a um imprudente. Desde o incidente com o Twitterverse em que Habitat utilizou o perfil da empresa para fazer spam, a marca foi extremamente criticada por está ação. As empresas têm de estar cientes que Mídia Social é coisa séria e devem estar cientes a quem irá confiar suas Redes.

3. Não terceirizar
Este trabalho é muito importante para colocar nas mãos de uma agência externa. A compreensão que se consegue ter em falar diretamente com os consumidores é o feedback crítico. Em suma, a filosofia corporativa das empresas são criticadas, então é hora de parar e ouvir.

4. Dê a sua esquipe de Mídia Social o poder de informar os usuários
A equipe de mídia social está no pulso entre os clientes, potenciais clientes e críticos. Por isso, é essencial comunicar isso para o nível mais alto na cadeia de gestão. Muitas empresas estão a cometer um enorme erro de  enterrar as responsabilidades da mídia social em um único departamento, se você tem uma equipe que cuida só das mídias sociais, mas as vezes aparecem questões que fogem ao conhecimento dessa equipe, procure buscar respostas nos demais departamentos da empresa.

5. Esteja preparado
Uma só reclamação no Facebook, Twitter ou um blog podem rapidamente se tornar um pesadelo para o departamento de relações públicas. É importante ter uma estratégia de resposta preparada e pronta para uso.

6. Encontrar sua voz
Os jornalistas veteranos falam da necessidade de desenvolver uma voz que o leitor é goste, a entenda e o mantenha informado. Com as estratégias em redes sociais  deve-se fazer o mesmo. Se sua empresa é uma autoridade em algum nicho direcione a conversa da melhor maneira possível.

7. Seja educado, profissional e tenha respeito

Esta é uma forma que está se ajusta a algumas empresas que não sabem como responder aos clientes que deixam a sua frustração com a empresa. Tenha em mente que na maioria das vezes o cliente sempre vai reclamar, procure usar resposta que você consiga passar uma informação que seja útil ao cliente.

8. Pegue todas as reclamações como uma oportunidade para aprender
Antes era necessária a organização de grupos de investigação para descobrir qual era o pensamento do público sobre os produtos e como eles chegaram até sua empresa. Agora, tudo isso é possível, sem qualquer compromisso na rede, a fim de aproveitar isso.

9. Ouça, ouça, ouça
O que o público diz sobre você e seus concorrentes? É importante ouvir antes de iniciar o recrutamento e, finalmente, transformar sua marca em uma forma mais transparente com adeptos nas redes.

10. Divertir-se
As pessoas vão criticá-lo e dizer coisas desagradáveis sobre a sua empresa. Ou talvez o próximo tweet possa fazer você rir, ou inspirá-lo. Não se esqueça, a mídia social é uma oportunidade de ter conversas de pessoa para pessoa, por isso aproveite.

Fonte: Marketing Directo

50 fatos interessantes sobre as mídias sociais

Aqui estão cinquenta  fatos sobre o Facebook, Twitter, LinkedIn, YouTube e os blogs. Os números são impressionantes e revelam o poder das mídias sociais assim como elas moldam negócios e criam oportunidades.

Facebook

1. O usuário médio no Facebook tem 130 amigos.
2. Mais de 25 milhões de peças (links, notícias, posts, notas, álbuns de fotos, etc) são compartilhados a cada mês.
3. Mais de 300.000 usuários ajudaram a traduzir o site através da aplicação para traduções.
4. Mais de 150 milhões de pessoas se envolvem com Facebook em sites externos a cada mês.
5. Dois terços dos Top 100 sites da comScore E.U.A e metade dos Top 100 sites globais da comScore’s são integrados com o Facebook.
6. Existem mais de 100 milhões de usuários ativos atualmente acessando o site Facebook através de seus dispositivos móveis.
7. As pessoas que o acessam via celular o Facebook são duas vezes mais ativas do que os usuários não-móveis.
8. O usuário do Facebook está conectado em média com 60 páginas, grupos e eventos.
9. As pessoas gastam mais de 500 bilhões minutos por mês no Facebook.
10. Há mais de 1 milhão de empresários e colaboradores de 180 países no Facebook.

Estatísticas da assessoria de imprensa do Facebook .

Twitter

11. A plataforma web do Twitter representa apenas um quarto de seus usuários – 75% utilizam por aplicações de terceiros.
12. Twitter recebe mais de 300 mil novos usuários a cada dia.
13. Existem atualmente 110 milhões de usuários dos serviços do Twitter.
14. Twitter recebe 180 milhões de visitas únicas por mês.
15. Existem mais de 600 milhões de buscas no Twitter a cada dia.
16. Twitter começou como um serviço de SMS de texto simples.
17. Mais de 60% dos usuários do Twitter estão fora dos E.U.A
18. Existem mais de 50.000 aplicativos de terceiros para o Twitter.
19. Twitter doou o acesso a todos os seus tweets para a Biblioteca do Congresso para a pesquisa e preservação.
20. Mais de um terço dos usuários acessam o Twitter pelo celular.

Estatísticas do Twitter e Chirp Conference.

LinkedIn

21. LinkedIn é o mais velho dos quatro sites neste post, tendo sido criado em 05 de maio de 2003.
22. Há mais de 70 milhões de usuários no mundo inteiro.
23. Os membros do LinkedIn vêm de mais de 200 países de todos os continentes.
24. LinkedIn está disponível em seis idiomas nativos – Inglês, Francês, Alemão, Italiano, Português e Espanhol.
25. O Chief Financial Officer da Oracle, Jeff Epstein, foi contratado para o cargo através de seu perfil do LinkedIn.
26. 80% das empresas utilizam o LinkedIn como uma ferramenta de recrutamento.
27. Um novo membro se junta ao LinkedIn a cada segundo.
28. LinkedIn recebe quase 12 milhões de visitantes únicos por dia.
29. Executivos de todas as empresas da Fortune 500 estão no LinkedIn.
30. Os recrutadores são responsáveis por um a cada 20 perfis no LinkedIn.

Estatísticas da assessoria de imprensa do LinkedIn.

Youtube

31. O primeiro vídeo carregado foi chamado de “Me at Zoo”, em 23 de abril de 2005.
32. Em junho de 2006, mais de 65 mil vídeos eram enviados todos os dias.
33. YouTube recebe mais de 2 bilhões de espectadores por dia.
34. A cada minuto, 24 horas de vídeo são carregados no YouTube.
35. As contas dos E.U.A representam 70% dos usuários do YouTube.
36. Mais da metade dos usuários do YouTube são menores de 20 anos.
37. Você precisaria viver por cerca de 1.000 anos para ver todos os vídeos no YouTube atualmente.
38. YouTube está disponível em 19 países e 12 idiomas.
39. Vídeos de música representam 20% dos uploads.
40. YouTube usa a mesma quantidade de largura de banda que a Internet inteira utilizava em 2000.

Estatísticas da assessoria de imprensa do Youtube.

Blogs

41. 77% dos usuários de internet lêem blogs.
42. Existem atualmente 133 milhões de blogs listados no diretório principal blog Technorati.
43. 60% dos blogueiros estão entre 18-44 anos de idade.
44. Um em cada cinco blogueiros atualizam os seus blogs diariamente.
45. Dois terços dos blogueiros são do sexo masculino.
46. Blogs corporativos representam  14% dos blogs.
47. 15% dos blogueiros passam 10 horas por semana blogando.
48. Mais da metade de todos os blogueiros são casados e / ou pais.
49. Mais de 50% dos blogueiros têm mais de um blog.
50. Blogueiros usam uma média de cinco diferentes sites sociais para direcionar o tráfego para o seu blog.

Estatísticas do Technorati . [DannyBrown]

 

Fonte: Vitamina Publicitária

 

Redes sociais ganham espaço na estratégia de Marketing

Estudo da Robert Half mostra que o monitoramento da marca é a principal atividade

 

 

As redes sociais entraram definitivamente na estratégia de Marketing das empresas brasileiras. É o que diz um estudo da Robert Half feito com 139 profissionais da área. Do total, 74% dos gerentes e diretores de Marketing usam as redes sociais como ferramenta estratégica. A pesquisa ouviu profissionais da indústria (49%), de serviços (29%), do varejo (9%) e do mercado financeiro (3%).

Somando todos os segmentos, 57% dos entrevistados afirmaram já terem feito ou que pretendem fazer algum tipo de treinamento em mídias sociais. Das atividades elaboradas nestes canais, o monitoramento da marca é a mais adotada pelos profissionais, com 20%. Em segundo está a divulgação de lançamentos (14%), seguido por pesquisa sobre os concorrentes (13%) e criação de perfis para interagir (13%). Empatados com 11% das atividades feitas nas redes sociais estão concursos e o recrutamento de profissionais.

Apesar do investimento de diversas empresas nesta ferramenta, apenas 24% dos entrevistados disseram ter verba fixa para o monitoramento da marca. A maioria deles (45%) destina somente 5% do orçamento de Marketing Digital para as redes sociais.

 

Fonte: Mundo do Marketing

Lady Gaga quer ser a primeira no Facebook a ter 10 milhões de amigos

 

Vender enxurradas de discos, passar semanas e mais semanas no topo das paradas musicais, angariar hordas de fãs ao redor do planeta, além de encher o bolso com milhões de dólares. O que mais pode desejar uma estrela pop?

Para Lady Gaga, só isso não é suficiente. A cantora americana quer ser a primeira pesssoa a ter 10 milhões de amigos no Facebook, numa corrida contra ninguém menos que o próprio o presidente dos EUA, Barack Obama.

Já são 9,8 milhões de pessoas que “curtem” (pelo famoso botão “Like”) a página dela no Facebook. No caso de Obama, são 9,41 milhões.

No Twitter, a cantora também já tem mais seguidores do que o presidente americano. A conta @ladygaga tem 4,72 milhões de fãs; já @barackobama tem 4,42 milhões. Mas se formos contar ainda os seguidores do perfil da Casa Branca, Obama sairia na frente, com mais 1,77 milhões de pessoas.

Aliás, cabe uma pequena correção: Lady Gaga quer ser a primeira pessoa “viva” a atingir essa marca. Michael Jackson, que tem um perfil memorial na rede e também é recordista em “número de vezes que foi ressuscitado em especiais na TV, rádio e internet”, tem incríveis 14 milhões de amigos póstumos.

Será que a superstar do pop passa também essa marca do MJ? Veremos…

______

Lá da AFP.

Imagem: AP.

Grupo terrorista Al Qaeda lançará jornal pela internet

O grupo terrorista Al Qaeda pretende lançar um jornal, em inglês, pela internet. O veículo terá o nome de Inspire e será usado para espalhar a ideologia do grupo e recrutar jovens que vivem em países do Ocidente.

Segundo o jornal USA Today, o Inspire será feito pelo braço da Al Qaeda no Iêmen, Oriente Médio. O objetivo do veículo, de acordo com declarações do ex-agente da CIA, Bruce Riedel, será o de recrutar “jovens jihadistas” que vivem em solo norte-americano ou europeu, e que querem integrar o filão de terroristas do grupo.

A Al Qaeda já realizou ataques contra civis e militares na África, no Oriente Médio e nos Estados Unidos. A queda das torres do World Trade Center, em 11 de setembro de 2001, levou o governo norte-americano a decretar Guerra ao Terror e iniciar uma busca, até hoje sem sucesso, ao principal líder do grupo, o saudita Osama Bin Laden.

Fonte: Portal Imprensa

 

Como será a logomarca deles? Será que o jornal terá missão, visão e valores? o próximo passo será o twitter e facebook? Fala sério!

 

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: